Cântico Final

SINOPSE OFICIAL: “Cântico Final”, extraído do romance de Vergílio Ferreira, conta-nos a história dos últimos meses de vida dum pintor vítima dum cancro. Originário duma família da pequena burguesia duma aldeia, ele dirige-se a Lisboa onde entra no mundo das artes e das letras. Frequenta os círculos intelectuais, mergulha na discussão estéril dalguns grupos a tal ponto que mal procura realizar-se através da sua arte. Todavia, um apelo, dum certo materialismo rústico, fá-lo vacilar na procura incessante da verdade e na agonia desesperada, da despedida que integra o homem na sua dimensão, onde a humildade e o absoluto são sinónimos. A grandeza da luta e do sofrimento é a sua maior aspiração, aquela que compreende o homem, na sua integridade. O pintor apaixona-se por uma dançarina ao fixar o seu retrato, e tenta decifrar a filosofia suprema do corpo temporal que ela defende, em contraste coma força da imortalidade do espírito com que ele sonha. Entretanto, surpreendido pela doença súbita e implacável, ele renuncia ao amor, aos meios culturais de Lisboa, aos amigos, à sua arte, até à vida. É um vencido que se refugia na obsessão da morte. Ele refugia-se na sua aldeia natal a fim de se interrogar a fundo e de mergulhar na obscuridade dos seus sentimentos e das suas recordações. As crises do 'cancro sucedem-se e, sentindo chegar-se o fim, num último élan, adquire uma capela em ruína e pinta-a, deixando assim o requiem da sua vida exprimir-se através da sua arte. O tema da vida breve e da morte incompreensível são a sua maneira de dialogar com os deuses ou com Deus na sua última obra. Ele morre, ciumento da vida que deixa e que recorda a todos O'S momentos, e frustrado perante o seu fim para o qual não encontra uma explicação. Nos últimos momentos de delírio ele revê O'S amigos, o amor, as injustiças sociais, o substracto único do homem que parte só. Todavia a última imagem da película, é um grito de esperança reflectido num campo de malmequeres exposto a constantes flashbacks e brilhando sob a forte luz do Sol. “Cântico Final” é um filme desesperado, narrado em contínuos flashbacks, começando com o regresso do protagonista à sua aldeia e ao qual o director Manuel Guimarães deu o melhor da sua vida e que - por estranha ironia - acaba por ser bizarramente autobiográfico visto que ele mesmo não o conseguiu terminar vítima da mesma doença que sucumbiu o protagonista, o pintor. “Nossa Senhora dos impossíveis que procuramos em vão”, um verso de Fernando Pessoa, é o lema final deste filme e de uma vida. Dórdio Guimarães

{{row.Title}} ( {{row.Year}} )

{{row.TitlePT}}

{{row.Duration}} min | {{row.Format}}
{{role.RoleName}}: {{person.PersonName}},

Baseado em: {{row.Work}} de {{person.PersonName}},


{{row.Synopsis}}

Galeria
Sem imagens para mostrar

Elenco

  • {{actor.PersonName}} ({{actor.Content.Character}}) | Dobragem: {{actor.Content.VoiceBy[0].Label}} ,

  • e {{row.AdditionalActors}}
  • (mais...)
  • (menos...)

Ficha técnica

  • {{ role.RoleName }}: {{person.PersonName}}, ({{person.Content.Character}}) |
(mais...)
(menos...)

Estreias

Primeira exibição pública: {{row.FirstPublicShowing}}

Primeira exibição pública em Portugal: {{row.FirstPublicShowingPortugal}}

Data de estreia: {{row.PremiereDate | date:'dd-MM-yyyy'}}

Local de estreia: {{row.ForeignPremiere}}

Data de estreia em Portugal: {{row.PortugalPremiereDate | date:'dd-MM-yyyy' }}

Local de estreia:

  • {{premiere.Label}} ,
  • (mais...)
  • (menos...)

Data de estreia em Lisboa: {{row.LisbonPremiereDate | date:'dd-MM-yyyy' }}

Estreias em Lisboa: {{sala.Label}} ;

{{row.BoxOffice | number:0}} espectadores em Portugal

Músicas

  • {{song.Title}} interpretada por {{p.Label}},
    Autor da letra: {{p.Label}},
    Autor da música: {{p.Label}},
(mais...)
(menos...)

Produção

Empresas produtoras: {{row.ProducedFor}}

Rodagem: {{row.Running}}

Cópias

  • Localização de cópia: {{row.OriginalCopy}}
  • Edição em VHS: {{row.VideoEdition}}
  • Edição em DVD: {{row.DVDEdition}}
  • Edição em Blu-ray: {{row.BlueRayEdition}}

Observações

Documentos